12 de mar de 2012

O "SONHO" do Capitão Pimentel


Sonho
Por José Geraldo Pimentel
Cap. Ref. do EB


Sonhei que estava bebendo. Deixando religiosamente a do santo cair no chão.
Acordei e estava vivo. Ao meu lado alguém que não bebia, estava morrendo.
Levantei-me da cama e dei uma gargalhada.

Só podia ter sido a Elizeth Cardoso que baixara em mim. No sonho o cara que não bebia jurava que era um disciplinado. Que seria capaz de levar um tapa no rosto e virar a outra face para apanhar. “Coisa de quenga de casa de prostituição do Lago Paranoá. Só podia ser!” Pensei! E era. O sujeito era branquícela, com uns olhos bem azuis. Mas um olhar triste. Cabisbaixo, humilhado, que nunca sentava na primeira fila. Não que desgostasse, mas porque era proibido.


Desvendava a charada, mesmo num sonho confuso, onde lugares e personagens mudavam a cada instante. A figura, por sinal de escola de samba de terceiro grupo, só tinha pose. Como se dizia disciplinado, obedecia sem reclamação. Só cumpria ordens. E como bajulava os seus algozes!

- Pobre diabo! .

Esse que definhava a olhos vistos, não era uma só pessoa; encarnava três indivíduos, que pareciam um bando de relapsos e omissos. Tudo isso e um pouco mais.

O personagem central do meu sonho, só cumpria ordens e atochava os seus pares. Podia-se xingá-lo, humilhá-lo, pisar em seu pescoço, que não reagia. E o país deitou em cima da figura; e, por tabela, dos seus comandados. Embora comandasse uma instituição militar; não liderava. Dizia-se que estava mais para uma figura decorativa, uma espécie de Rainha da Inglaterra, que reina, mas não manda. Era tão bem mandado que demitia seus subordinados sem questionar as ordens que vinham de cima.


No sonho aparecia um rabo. Não consegui entender a utilidade da peça,- se não afastava as moscas que pousavam em seu lombo, ou balançasse para demonstrar alegria. O rabo estranhamente estava preso no traseiro no sujeito. Eu ficava em dúvida, se tratava de um homem, um cavalo ou um cão. O individuo simplesmente tinha o rabo preso!


Acordado, rosto lavado, corri para a mesa para o café da manhã. O jornal colocado ao meu lado, voltava a me deixar desnorteado. Falava do deputado meio bastardo e um bocado imbecil, achando que as Forças Armadas tinham se transformado no lixo da história, dera entrada na Câmara federal com um projeto de lei que propõe mudar o nome da ponte Rio - Niterói de Presidente Costa e Silva, para Herbert de Sousa, o Betinho.


O ranço contra os governos militares estão em todas as partes. A imprensa estimula os ataques, enquanto não se ver nenhuma voz que se levante e diga: “Chega. Respeitem as FFAA do pais!”


Mas qual nada, nem o mocinho do meu sonho! Parece que não é com ele. Seu papel à frente da instituição militar é decorativa. Que se lixem as ofensas, o descaso com o equipamento, a defasagem salarial da tropa; o seu negocio é manter-se calado.


Taí a explicação para o rabo do meu sonho. O cabra, que não é cabra macho, tem o rabo preso. A Procuradoria-Geral de Justiça Militar explica melhor o caso.


Acredito que uma oportunidade ímpar das FFAA darem um soco na mesa, seria os signatários do manifesto “Alerta à Nação!”,- apenas os oficiais generais e coronéis (inclusos os tenentes coronéis),- comparecerem em Brasília no dia 31 de março próximo e entregarem um protesto em mãos do ministro da Defesa.


“Exigimos respeito com as Forças Armadas Brasileiras! Se Vossa Excelência não tomar uma providência junto à presidente da República, nós vestiremos a nossa farda, e o faremos com as lâminas de nossas espadas!”


Não podemos ficar à mercê de uns vândalos que estão se julgando os donos do país.


As FFAA brasileiras não podem se submeter aos caprichos e humilhações a que vêm sendo vítimas, pelo fato de não contarmos com uma autoridade à frente da instituição militar. Queremos a paz, e somos formados para manter a paz no país, e ir à luta, se preciso for, em defesa da pátria. A pátria neste momento está sendo ultrajada por meia dúzia de fanáticos, com a complacência dos Comandantes Militares, do ministro da Defesa e da presidente da República, que se não sabe, é constitucionalmente a Comandante-em-chefe das Forças Armadas!

Rio de Janeiro, 12 de março de 2012.
http://www.jgpimentel.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários não refletem necessariamente a Opinião da editora do blog "PONTO DE VISTA".

  © Blogger templates Newspaper III by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP