7 de mar de 2012

Reflexões do Poeta Lusitano- Laurentino Sabrosa



LAURENTINO SABROSA - PENSAMENTOS ( MY OWN )
Extraído do site PAZ/ editor Humberto Pinho da Silva

Todos os meus pensamentos são mesmo meus, muito pessoais, e, portanto, são mesmo eu próprio : my own! Muitos dos meus pensamentos estão expostos ao longo do que tenho escrito. Estes ainda não foram enquadrados em lado nenhum, não excluindo, porém, a possibilidade de uma ou outra excepção. Cada meu pensamento é uma espécie de assinatura : a minha assinatura diz tudo, na minha assinatura estou todo.

1 - O mundo inteiro só é digno de existir pela existência de Deus e por ter sido feito por Ele. É a conclusão que se tira da leitura global da Sagrada Escritura, se fizermos dela uma leitura atenta, continuada e com um mínimo de profundidade, a ponto de ser para nós, como dizem certos rabis judaicos da Torah. “santa quanto ao seu lado óbvio e compreensível, mas sacrossanta quanto ao seu sentido escondido e misterioso”.

2 - Toda a fidelidade e obediência à vontade de Deus e toda a renúncia a resistir às solicitações desumanas (porque contrárias à humanidade que Deus nos deu), são de per si uma oração.

3 - Os meus livros permitem-me tratar por tu todos os sábios, cientistas, filósofos e o próprio Deus. A todos esses grandes vultos, eu nomeei-os a título póstumo meus amigos com medalhas de mérito e de reconhecimento. Todos eles através dos meus livros, me dão memórias e pensamentos que eu tento aprisionar nos meus escritos, para que mesmo que eles voem, sejam como pombas que regressam aos seus pombais.

4 - Os tísicos sentem a sua líbido recrudescida – é o protesto da sua natureza a despedir-se do que mais amou, no subconsciente talvez mais que no consciente; é o desespero de querer ver satisfeito o seu último desejo de condenados.

5 - As lágrimas de alegria limpam e fazem brilhar os olhos; as lágrimas de sofrimento turvam e avermelham os olhos, por terem um teor salino superior ao quanto baste.

6 - A alegria é a satisfação multiplicada por si mesma

7 - Deus paga-nos para vivermos e por isso há a obrigação de amar e defender a vida.

8 - O amor fraterno-teológico, embora necessário para a vivência humana, só consola os místicos e, ainda que seja em pequeno grau, todos devemos ser místicos. Mas todos nós somos por essência poetas, e o poeta quer completar o amor ao próximo e a Deus com aquele amor de união e entrega a alguém que seja tão poeta como ele. Se o não consegue, rumina filosofias, rumina teologias, rumina desesperos. Sofremos mas sublimamo-nos, e mesmo que não saibamos alinhavar versos rimados, continuamos a ser poetas, poetas de outra maneira. Será que quem ama se contenta com receber de quem ama apenas amor cristão e amabilidades sociais?

9 - Será que entre marido e mulher deve haver as fórmulas de agradecimento e de pedir tudo por favor? Eu acho que não, a não ser que entre ambos haja relações apenas de tolerado convívio sem amor e muita indiferença. Agradecimento e favor, não; delicadeza, sim. Se eles se amam, “são como a unha e a carne”, ou, como se diz na Bíblia, uma só carne. A mão esquerda não agradece à mão direita que esta a lave, e mão direita não pede por favor nem agradece, depois, que a esquerda a ajude a fazer o que é necessário para bem de ambas. O que ambas apreciam, sem propriamente agradecer, é que haja uma mútua e grande delicadeza. Tudo que se desenrola entre um casal que verdadeiramente se ama é em proveito de ambos – umas vezes será o marido a ser mão direita, outras vezes será a mulher a desempenhar esse papel e, então, será o marido a ter de assumir a funções de mão esquerda. Mão esquerda e mão direita que pertencem ao mesmo corpo.

10 - É sempre bom não rezar “à sorte”, qualquer que seja o sentido que se der à expressão: ou por ser atabalhoadamente, sem atenção, sem sentimento, ou por rezar à SORTE, como se ela fosse uma divindade protectora e auxiliadora, divindade que é muito invocada mas nem sequer existe.

LAURENTINO SABROSA - Senhora da Hora, Portugal.
laurindo.barbosa@gmail.com
http://autores2.blogs.sapo.pt/


O site PAZ é editado pelo parceiro do Blog Ponto de Vista-escritor Humberto Pinho da Silva

1 comentários:

IRENE,  4 de abril de 2012 18:41  

É bom ler textos de um amigo de quem gostamos e é melhor ainda vermos textos de quem gostamos muito!
Gostei muito…..

Postar um comentário

Os comentários não refletem necessariamente a Opinião da editora do blog "PONTO DE VISTA".

  © Blogger templates Newspaper III by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP