25 de mar de 2015

Militar das F.A- Luiz Carlos BRAGA solta a VOZ em defesa do BRASIL

BRASIL, O PAÍS DA FARSA E DA IMPUNIDADE

Por Luiz Carlos Braga *
    
Como está sendo divulgado pela mídia em geral, a Câmara dos Deputados, aprovou no dia de hoje, um aumento no salário dos Serventuários da Justiça, em atendimento a proposta contida na PL 7920/14, que foi enviada pelo STF.                                                                                   

- Não se constitui em novidade para ninguém, que o Poder da República que melhor remunera seus quadros é o Judiciário.
É fato que, a concessão de um reajuste para os Ministros da Mais Alta Corte do país ( STF ), de imediato desencadeia um efeito cascata onde todos, EU DISSE TODOS, os desembargadores, juízes e os demais servidores, são contemplados com os efeitos desta medida.                                                                                                
É mais do que visível que, por trás dessa extemporânea e inconcebível aprovação, existe um conluio, uma armação entre Poderes ou quem sabe até um pacto.
Ora, tendo em vista que vários membros do governo e também os dois Presidentes das duas Casas do Congresso Nacional estão sob investigação por atos de corrupção, seria razoável admitir que estes reajustes fora de hora, estivessem sendo concedidos com a finalidade de funcionar como uma espécie de cala boca.
Será que somos tão tolos assim?

Diante disso, conclui-se que as vozes roucas das ruas ainda não foram entendidas e certamente, têm que ser ainda muito mais roucas e audíveis do que atualmente o são.                                 

É inadmissível a aprovação de qualquer reajuste no momento em que o país encontra-se quebrado e passando pela pior crise financeira e moral da sua história.

Não há como entender a aprovação de qualquer reajuste dessa ordem e nesse momento, quando o próprio Congresso Nacional estuda uma proposta do governo, em não estender aos aposentados e pensionistas o mesmo mísero percentual que será dado ao reajuste do salário mínimo.                                                                                                    

Por outro lado, o Ministro da Fazenda, Sr. Joaquim Levy, se realmente quisesse fazer o ajuste das contas públicas, teria plenas condições de fazê-lo, economizando alguns bilhões, caso viesse ter a coragem de realizar o corte de certos gastos que o governo insiste em manter, tais como:

1 – Diminuição de 39 para 15, o número dos atuais Ministérios que na prática só servem para satisfazer conchavos com partidos da base aliada e dar emprego a "cumpanheros" não concursados e pagos regiamente com polpudos salários (DAS);                                                                              

2 - Eliminar pela metade os atuais 25.000 cargos comissionados espalhados pela administração pública, cuja única finalidade é a manutenção do aparelhamento do Estado;                                                                                                        

3 - Cortar DEFINITIVAMENTE, todos os convênios firmados com as ONGS, que por não terem qualquer controle ou fiscalização atuam como lavanderias de dinheiro;                                                              

4 - Acabar com todos esses programas assistencialistas como Bolsa-Família, Bolsa-Reclusão, Bolsa-Prostituta, Minha Casa Minha Vida e outros, cuja finalidade é tão somente trocar a consciência dos ignorantes e dos mais pobres, por votos;                   

5 - Por um fim no repasse de verbas públicas para os chamados "Movimentos Sociais", haja vista que atuam na marginalidade, fora da Lei e sem qualquer identidade jurídica;                              

6 - Não destinar mais qualquer tipo de verba para as Centrais Sindicais, como CUT e outras, haja vista serem organismos político-partidários que na verdade nada têm com os interesses da classe trabalhadora;                                                                             

7 - Acabar de uma vez, e para sempre, com esses famigerados "Cartões Corporativos", verdadeiros ralos do dinheiro público onde o cidadão comum não tem acesso gastos e muito menos de uma fonte de controle, haja vista que por razões mais do que óbvias, o governo insiste em manter sob sigilo absoluto;                                                                                                       

8 – Para finalizar, solicitar ao Congresso Nacional, a revogação dessa excrescência, que foi o reajuste de mais de 250% no Fundo Partidário.                                                                                      

Soluções existem e muitas, só depende da transparência e da seriedade nas ações do governo, movidas por uma contundente, maciça e constante pressão de toda a sociedade. Somente desta forma, seria possível colocar um ponto final nessa interminável orgia com o dinheiro público.
•Colaborador do Blog Ponto de Vista e Militar Reformado das F.A           

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários não refletem necessariamente a Opinião da editora do blog "PONTO DE VISTA".

  © Blogger templates Newspaper III by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP